Simp English Español

Está aqui

Associação Cultural e Desportiva (ACD-PGR)

A Associação Cultural e Desportiva da Procuradoria-Geral da República (ACD-PGR) tem existência legal desde 5 de Dezembro de 1989, tendo a escritura da sua constituição sido lavrada no 1.º Cartório Notarial de Lisboa na presença dos associados Natália Nunes Rocha, Maria Helena Vaz de Sequeira, Abílio Padrão Gonçalves e Ireneu Cabral Barreto.

Da autoria destes dois magistrados, os primeiros estatutos previam que a ACD-PGR  tinha " ... por objecto a promoção de realizações de caráter cultural e desportivo entre os magistrados e funcionários da Procuradoria-Geral da República".

Nos primeiros tempos, ficaram célebres os jogos de futebol entre os brancos e os pretos, capitaneados pelo magnífico Lopes Rocha (e quem esquece os pontapés de saída do Conselheiro Arala Chaves, as defesas do guarda-redes Laborinho ou a imparcialidade do árbitro Manuel Gomes?). Inesquecíveis ficaram também os almoços de confraternização e os acalorados discursos dos oradores inspirados Laborinho Lúcio, Lopes Rocha, Lúcio Vidal e Marques Vidal, entre outros.

Desde esses tempos, são já múltiplas as iniciativas levadas a cabo pela ACD-PGR. No domínio cultural, destaque para os Jogos Florais e os Encontros de Coros da Justiça. No campo desportivo, recordem-se os campeonatos de futsal, a classe de badmínton, os rally-papers e peddy-paper.

 

Equipa de futebol
1983
Festa de Natal
1990
   
   
Rally-paper
1991
Encontros de Coros da Justiça
1998